História Pastorais Movimentos Comunidades Clero Reflexão Semeando a Palavra Festa do Divino


O SENTIDO DA MORTE CRISTÃ

   Em consequência do pecado original, o homem deve sofrer a morte corporal, de que estaria isento, se não tivesse pecado. Porém, mesmo que este destino inevitável tenha como origem essa triste desobediência de nossos primeiros pais Adão e Eva, o morrer tem, em Cristo, um novo e positivo significado, uma vez que, sendo batizados e vivendo em estado de graça, ao fecharmos os olhos para este mundo, completamos nossa incorporação n'Ele (Jesus), participando de Sua morte e ressureição. Isso porque, no batismo, morremos sacramentalmente com Cristo para viver uma vida nova: "Todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados na sua morte. Fomos sepultados com Ele pelo batismo na morte, para que, assim como Cristo ressucitou dos mortos, pela glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova" (Rm 6, 3-4). E, ao deixarmos este mundo em estado de graça, a morte física consuma essa morte sacramental.

   Na separação entre o corpo e a alma, Deus chama o homem a Si. A exemplo de Cristo, podemos transformar este chamado (a morte) em um ato de obediência e amor. Isso porque a morte é o fim da peregrinação terrena do homem, do tempo de graça e misericórdia que Deus lhe oferece para realizar a sua vida neste mundo segundo o plano divino e para decidir o seu destino último: salvação eterna ou condenação eterna.

   Quando acabar a nossa vida sobre a terra, que é só uma, não voltaremos a outras vidas terrenas. "Os homens morrem uma só vez" (Heb 9, 27). Não existe "reencarnação" depois da morte.

   A Igreja exorta-nos a prepararmo-nos para a hora da nossa morte, a pedirmos à Mãe de Deus que rogue por nós e a confiarmo-nos a S. José, padroeiro da boa morte, como exemplificado nas citações e trechos seguintes:

"Duma morte repentina e imprevista, livrai-nos, Senhor" (antiga Ladainha dos Santos);

"na hora da nossa morte" (Oração da Ave-Maria);

"Em todos os teus atos em todos os teus pensamentos, havias de te comportar como se devesses morrer hoje. Se tivesses boa consciência, não terias grande receio da morte. Mais vale acautelares-te do pecado do que fugir da morte. Se hoje não estás preparado, como o estarás amanhã?"

(Imitação de Cristo);

"Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã a morte corporal, à qual nenhum homem vivo pode escapar. Ai daqueles que morrem em pecado mortal: Bem-aventurados os que ela encontrar a cumprir as tuas santíssimas vontades, porque a segunda morte não lhes fará mal"

(São Francisco de Assis, Cântico das criaturas)

"Para os que creêm em Vós, Senhor, a vida não acaba, apenas se transforma: e, desfeita a morada deste exílio terrestre, adquirimos no céu uma habitação eterna"

(Prefácio dos Defuntos I: Missale Romanum, editio typica);

"No entardecer de nossa vida, seremos julgados sobre o amor." (São João da Cruz).


Batismo: morte sacramental com Cristo.

Batismo: Morte Sacramental com Cristo.

A Paixão de Cristo.

Decisão do Destino Último.

                                       São José: Padroeiro da Boa Morte.

Incorporação a Cristo.

Fontes: Catecismo da Igreja Católica;